muito além da medicina.

Cintilografia Renal

INFORMAÇÕES AO PACIENTE SOBRE O EXAME DE CINTILOGRAFIA RENAL

O que é cintilografia renal?

A cintilografia renal compreende dois procedimentos distintos atualmente mais utilizados na prática médica: a cintilografia renal dinâmica e a cintilografia renal estática.
A cintilografia renal dinâmica, de maneira simplista, estuda a função do rim de filtrar o sangue e formar e excretar a "urina radiomarcada".
Por sua vez, a cintilografia renal estática, como o próprio nome afirma, consiste na aquisição de imagens estáticas através do uso do radiofármaco DMSA-99mTc (ácido dimercaptosuccínico marcado com tecnécio 99 metaestável), o qual se concentra e se fixa aos túbulos do parênquima renal de maneira proporcional à função tubular e integridade do córtex renal.

Para que serve o exame?

A cintilografia renal dinâmica tem como principais indicações:

  • Avaliação da função glomerular dos rins;
  • Avaliação da via excretora renal, principalmente nos casos de dilatação do sistema coletor, para diferencial entre processo obstrutivo mecânico (ex.: estenose de JUP, cálculo) ou estase funcional (ex.: aumento da complacência);
  • Em casos de suspeita de hipertensão de etiologia renovascular, quando associado ao teste com captopril e estudo basal;
  • Avaliação grosseira do fluxo sanguíneo renal;
  • Avaliação pós-transplante renal;
  • Como alternativa na avaliação de refluxo vésico-uretro-renal, através da cintilografia miccional indireta (necessita de controle esfincteriano, ou seja, crianças colaborativas de preferência maiores que 3 anos, com função renal preservada e ausência de estase prévia em sistema coletor renal).

A cintilografia renal estática tem como principais indicações:

  • Avaliação da função tubular dos rins;
  • Avaliação da anatomia cortical;
  • Diagnóstico de pielonefrite aguda;
  • Avaliação e seguimento de casos de infecção urinária e/ou pielonefrites de repetição (cicatrizes corticais);
  • Diagnóstico de anomalias renais (ex.: rim em ferradura, ectopia renal cruzada, rim único, hipoplasia renal, rim pélvico, cistos);
  • Diagnóstico diferencial de pseudotumores renais (ex.: hipertrofia da coluna de Bertin e lobulação fetal X tumor maligno).

O exame é seguro?

Sim. Os riscos são mínimos e relacionados apenas a probabilidade de reação adversa a medicamentos (incluindo reação alérgica), sendo o rubor cutâneo temporário (pele avermelhada) a reação mais verificada, não se observando nenhuma reação grave que necessite de hospitalização ou que cause sequela para saúde.
Lembre-se: o exame é contra-indicado em mulheres gestantes ou em amamentação. Caso esteja amamentando, deve-se suspender a amamentação e o contato íntimo com a criança por no mínimo 24 horas após o exame.

Quais são as principais recomendações para o exame?

  • Não é necessário jejum. Alimente-se normalmente (exceto para quem faz uso de captopril);
  • Procure vestir roupas confortáveis, sem excessos de botões ou peças metálicas;
  • Evite cintos com fivelas muito grandes e excesso de joias;
  • Se possuir, traga exames recentes relacionados ao seu caso (cintilografias prévias, radiografias, urografias, ecografias, tomografias, ressonância, biópsias, exames de sangue e urina, relatórios médicos).
  • No exame de cintilografia renal dinâmica, recomenda-se suspender diuréticos por 24 horas antes ao exame, a critério do seu médico (a).
  • Em caso de avaliação de hipertensão renovascular com prova do captopril, o preparo é diferente, havendo necessidade de jejum e suspensão de certos medicamentos.

Como é realizada a cintilografia renal?

Exame de cintilografia renal dinâmica:

  • 1. Lembre-se de beber líquidos e esvaziar a bexiga antes do exame;
  • 2. Após urinar e ser encaminhado para a sala de exames, deite-se na maca do aparelho de medicina nuclear (detector localizado na região das costas, sem sensação de claustrofobia);
  • 3. Em seguida será puncionado e colocado um acesso venoso, em geral no braço, com agulha fina e mínima dor restrita apenas ao momento da punção;
  • 4. Seu exame iniciará após a administração do radiofármaco, com duração de aproximadamente 30 – 40 minutos. Solicita-se não movimentar o tronco neste período de tempo, pois dependendo do grau de movimentação o exame terá que ser repetido em outra data;
  • 5. Na maioria dos casos será administrado, no acesso venoso previamente locado, medicamento que estimula a formação da urina, em geral após 10 - 15 minutos do início do estudo ou, nas crianças de colo, logo no início do exame;
  • 6. Após término das imagens iniciais, pode ser necessário locomover-se ao toalete para urinar e adquirir uma imagem pós-miccional, com duração média de 1 minuto.
  • 7. Por último será retirado o acesso venoso (procedimento sem dor) e, caso não haja necessidade de mais nenhum procedimento, liberação da clínica sem maiores restrições. Recomenda-se beber líquidos normalmente durante o dia e urinar com certa frequência para estimular a eliminação da mínima radioatividade residual.

Obs.: em caso de necessidade de cintilografia renal estática no mesmo dia, será aplicada após término do exame dinâmico uma injeção do radiofármaco DMSA-99mTc no acesso venoso previamente puncionado, com retorno após 4/6 horas para aquisição das imagens (leia a seguir).

Exame de cintilografia renal estática:

  • 1. Lembre-se que não é necessário jejum e não é necessário ficar de bexiga cheia (deve-se urinar durante o dia do exame);
  • 2. A primeira etapa consiste apenas na injeção na veia (agulha fina e mínima dor) do radiofármaco DMSA-99mTc, com duração média de 10 minutos;
  • 3. Após a injeção será marcado horário de retorno para aquisição das imagens renais, em geral 4 a 6 horas após a injeção. Este intervalo de 4 – 6 horas é o tempo necessário para o radiofármaco ser concentrado de maneira adequada nos rins;
  • 4. Nas 4 – 6 horas entre a injeção e o retorno para as imagens, você poderá realizar qualquer atividade habitual, se quiser poderá retornar para sua casa ou aguardar na própria clínica até o horário marcado;
  • 5. A segunda etapa consiste na aquisição das imagens dos rins no aparelho de medicina nuclear, durando em média 15 minutos e não havendo necessidade de novas injeções;
  • 6. A posição é deitada (supino) com o detector posicionado na região do tronco (aparelho aberto, sem sensação de claustrobia).

IMPORTANTE: caso seja realizada cintilografia renal dinâmica e estática no mesmo dia, em alguns casos onde existe retenção urinária no sistema coletor renal, pode ser necessário retorno no dia seguinte para imagem tardia dos rins, durando em média 10 minutos.

Alameda Augusto Stellfeld, 1727

Bigorrilho - Curitiba - Paraná | (41) 3083-6060